Cinder – Opinião

Cinder – Marissa Meyer

CapturarTítulo original: Cinder

Autor: Marissa Meyer

Editora: Editorial Planeta

Publicação: 10-2012

Número de páginas: 318

A minha classificação: 15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n

Sinopse: “Com dezasseis anos, Cinder é considerada pela sociedade como um erro tecnológico. Para a madrasta, é um fardo. No entanto, ser cyborg também tem algumas vantagens: as suas ligações cerebrais conferem-lhe uma prodigiosa capacidade para reparar aparelhos (autómatos, planadores, as suas partes defeituosas) e fazem dela a melhor especialista em mecânica de Nova Pequim. É esta reputação que leva o príncipe Kai a abordá-la na oficina onde trabalha, para que lhe repare um andróide antes do baile anual.

Em tom de gracejo, o príncipe diz tratar-se de «um caso de segurança nacional», mas Cinder desconfia que o assunto é mais sério do que dá a entender.

Ansiosa por impressionar o príncipe, as intenções de Cinder são transtornadas quando a irmã mais nova, e sua única amiga humana, é contagiada pela peste fatal que há uma década devasta a Terra. A madrasta de Cinder atribui-lhe a culpa da doença da filha e oferece o corpo da enteada como cobaia para as investigações clínicas relacionadas com a praga, uma «honra» à qual ninguém até então sobreviveu. Mas os cientistas não tardam a descobrir que a nova cobaia apresenta características que a tornam única. Uma particularidade pela qual há quem esteja disposto a matar.”

Opinião: 

Aproveitei as férias do Carnaval para ler este livro com a minha melhor amiga uma vez que estávamos ambas tão entusiasmadas para o ler.

E devo dizer, foi o primeiro reconto que li e adorei, estava um pouco duvidosa se iria gostar ou não porque não costumo gostar de mundos demasiado futuristas, contudo estava entusiasmada ao mesmo tempo porque sempre gostei de contos de fadas.

Não me arrependi nem um bocadinho!

Ao longo da história o livro foi-se tornando muito previsível, mas não deixou nem por d779998fcd54b3e26ef75ed1f0b7246aum segundo de ser fantástico. Notava-se em certos aspetos que era um reconto da Cinderela, como por exemplo a madrasta malvada e as meias irmãs, o baile, etc. Mas a história não se focava apenas na maldade da madrasta e no baile o que foi ótimo, havia sempre muito mais a acontecer. A escritora também melhorou o aspeto do ódio da madrasta, ao contrário do conto original, aqui a madrasta não odeia apenas a Cinder por odiar, tem uma razão, ainda que isso não desculpe as ações dela, mesmo assim a madrasta foi uma má pessoa.

Tive sempre a sensação de que tudo tinha um propósito, estava tudo muito bem
distribuído, nunca em momento algum, tive a sensação de que o livro tinha partes só para encher ou só para manter o leitor entretido enquanto outra coisa acontecia.

Adorei as personagens, no reconto podemos ver mais do príncipe o que, outra vez, no conto original não acontecia. Foi também muito interessante ver como a Cinder convivia sabendo que ela era um cyborg. Porém, a personagem pela qual tenho um carinho especial é Iko que me deixou um pouco triste, mas não vou aprofundar o assunto, para não dar spoilers.

Outra vez, achei o final muito previsível, mas achei a ideia bastante boa. A escritora criou um mistério que acabou por não ser grande mistério. Mesmo assim estou muito ansiosa para ler o próximo livro, tenho grandes expetativas para os próximos livros.

Tudo, Tudo… e Nós – Opinião

Tudo, Tudo… e Nós – Nicola Yoon

31804840Título original: Everything Everything

Autor: Nicola Yoon

Editora: Editorial Presença

Publicação: 09-2016

Número de páginas: 320

A minha classificação: 15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n

Sinopse: “Madeline Whittier observa o mundo pela janela. Tem uma doença rara que a impede de sair de casa. Apesar disso, Maddy leva uma vida tranquila na companhia da mãe e da sua enfermeira – até ao dia em que Olly, um rapaz vestido de preto, se muda para a casa ao lado e os seus olhares se cruzam pela primeira vez. De repente, torna-se impossível para Maddy voltar à velha rotina e ignorar o fascínio do exterior – mesmo que isso ponha a sua vida em risco. Nicola Yoon escreveu um livro comovente com uma mensagem para leitores de todas as idades.”

Opinião: 

Acho que não pegaria neste livro tão cedo se não me dissessem que ia sair em filme e que o trailer já tinha saído. E estou tão feliz por ter pegado nele!

Foi um livro maravilhoso! Adorei a escrita, os personagens e a história! Primeiramente adorei a escrita, sou grande fã de contemporary YA’s mas às vezes é difícil de encontrar uma escrita que verdadeiramente me cative e esta sem dúvida alguma captou a minha atenção. A maneira de como a escritora inseriu as anotações e apontamentos da Maddy foi fantástica.

As personagens foram todas bem construídas e foi visível o desenvolvimento das mesmas ao decorrer da história. Estava à espera que a Maddy fosse uma personagem mais sensível mas ela revelou-se uma personagem bastante forte. A construção da relação dela com o Oly foi muito bem explorada e construída.

Tenho de admitir que alguns pontos da história foram bastante previsíveis, mas foi algo que não me incomodou porque tudo neste livro é tão envolvente e fantástico. Recomendo muito às pessoas que estão à procura de uma leitura rápida, porque em si o livro não é muito grande mas também é mesmo muito fácil de ler e entrar na história.

Mal posso esperar para ler mais livros da escritora, pelo que vi neste livro acho que ela tem bastante potencial tendo também em conta o hype que há à volta dos livros dela.

Coroa da Meia-Noite – Opinião

Coroa da Meia-Noite Sarah J. Maas

32968913 (1)Título original: Crown of Midnight

Autor: Sarah J. Maas

Editora: Marcador

Publicação: 11-2016

Número de páginas: 568

A minha classificação: 15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n

Sinopse: “Num trono de vidro, governa um rei com punho de ferro e alma tão negra como o breu. Celaena Sardothien, a Assassina de Adarian, venceu uma competição violenta e tornou-se no seu campeão. No entanto, Celaena está longe de ser leal à Coroa. Ela faz a sua vigilância em segredo; sabe que o homem a quem serve está vergado ao
mal. Manter esta encenação mortífera torna-se cada vez mais difícil quando Celaena se apercebe de que não é a única que está à procura de justiça. Ao tentar desvendar os mistérios enterrados no coração do castelo de vidro, a sua relação com as pessoas que lhe são mais próximas sofre com isso. Aparentemente, todos questionam a sua lealdade — Dorian, o príncipe herdeiro; Chaol, o capitão da Guarda; e até mesmo Nehemia, a sua melhor amiga, princesa de um reino distante e com um coração rebelde. Mas numa terrível noite, os segredos que todos eles têm guardado conduzem-nos a uma tragédia indescritível. O mundo de Celaena é destruído e ela é forçada a abdicar daquilo que considera mais precioso e a decidir de uma vez por todas onde está assente a sua verdadeira lealdade… e por quem está disposta a lutar.”

Opinião: 

Quando terminei o livro Trono de Vidro, pensei que a serie não podia ficar melhor, mas estava tão enganada!

O livro superou todas as minhas expectativas. Como esperava, a história vai para um lado mais obscuro do que o primeiro livro, o que, na minha opinião, melhorou deveras a serie. Sarah J. Maas deu um grande passo com este livro, explorou muito mais as cc582ef39604584d4471f591acedfa7dpersonagens, podemos ver mais da Celeana em todos os aspetos, finalmente foi-nos mostrado mais o seu lado mortífero! Celeana foi colocada numa serie de testes e podemos ver a personagem a crescer e a mudar ao longo da história. Conseguimos ver também mais de Dorian o que não nos era permitido em Trono de Vidro.

Consegui finalmente ver o meu shippe junto, o que me surpreendeu porque não esperava que fosse tão cedo, mas não me queixo, adorei completamente!

Este livro foi um misto de emoções, porque tudo podia acontecer, nunca sabia o que esperar.

O que mais me surpreendeu no fim de tudo foi o final, não estava nem um pouco à espera, o que me está a matar porque fiquei mesmo entusiasmada para ler o resto da serie. Mal posso esperar pelo próximo!

A Maldição do Vencedor – Opinião

A Maldição do Vencedor –  Marie Rutkoski

30843039Título original: The Winner’s Curse

Autor: Marie Rutkoski

Editora: TopSeller

Publicação: 07-2016

Número de páginas: 320

A minha classificação: 15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n

Sinopse: “Kestrel, jovem filha do poderoso general de Valoria, tem apenas duas opções: alistar-se no exército ou casar-se. Ela tem, no entanto, outras aspirações e procura libertar-se do seu destino, rebelando-se contra o pai.
Num passeio clandestino pela cidade, Kestrel vai parar a um leilão de escravos, onde se depara com um jovem, Arin, que parece querer desafiar o mundo inteiro sozinho. Num impulso, ela acaba por comprá-lo — por um preço tão alto, que a torna alvo de mexericos na sociedade.
Arin pertence ao povo de Herrani, conquistado dez anos antes pelos Valorianos. Além de ser um ferreiro exímio, revela-se também um cantor extraordinário, despertando a curiosidade de Kestrel. Arin, contudo, tem um segredo, e Kestrel não tardará a descobrir que o preço que pagou por ele poderá custar muito mais do que aquilo que alguma vez imaginara.”

Opinião: 

Inicialmente dei a este livro 4 estrelas mas estive a ver outras reviews e mudei de opinião, houve aspetos que admito que não tinha visto e que afetaram a minha opinião no livro.

Inicialmente, estava bastante motivada para pegar neste livro, mas à medida que o fui lendo a minha motivação foi baixando, porque tem um início muito lento, sinto que foi necessário para a compreensão daquele mundo e da história, contudo um início lento faz perder o interesse no livro logo no começo, o que não é de todo algo bom.

Achei que o mundo era bastante interessante, não é um mundo de fantasia porque podemos claramente ver que os sítios que mencionam não se situam
na terra mas ainda assim não é um mundo com magia. O que me fez por vezes sentir que este livro poderia ser um livro de fantasia, foi o facto de abordarem maior parte do tempo questões políticas, o que, nos livros de fantasia, está sempre presente, como também nesta obra.

Falando agora das personagens. Desde o início que achei a Kestrel uma personagem por vezes entediante. Achei forçado o repentino interesse pelo Arin, não conseguia parar de pensar nele desde do leilão, creio que deviam ter dado mais tempo. Tudo o que a Kestrel se preocupava era estar com Arin e tocar piano, surpreendeu-me como é que não passou uma vez pela cabeça da dela como a escravatura era algo errado, em vez de se focar em acabar com a escravatura, interessava-se em convencer o pai a não ir para o exercito, tocar piano e ficar preocupada com o que a sociedade pensava dela.

Falando do Arin, muitas vezes não percebia o comportamento exagerado dele, a maneira de como tratava a Kestrel se gostava dela. O Arin foi um personagem que me irritou muitas vezes ao longo do livro.

Achei também que poderíamos ter mais back story de mais personagens.

Sinto que a escritora neste livro aborda a escravatura como se fosse algo completamente natural, o que não foi muito correto na minha opinião, mas não sei o que acontece nos próximos livros, portanto, ainda pode mudar e espero que sim.

Vou sem dúvida ler o próximo livro, apesar de tudo gostei bastante do final e era algo que, certamente, não estava nada à espera e é o que me faz querer ler o próximo livro, porque acho que pode surgir uma história muito boa daqui. Só espero gostar muito mais do próximo livro do que gostei deste.

 

A Minha História com BOB – Opinião

A Minha História com BOB – James Bowen

16178208Título original: A Street Cat Named Bob

Autor: James Bowen

Editora: Porto Editora

Publicação: 05-2016

Número de páginas: 192

A minha classificação: 15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n

Sinopse: “Quando James Bowen encontra um gato alaranjado no prédio onde vive, não faz ideia do quanto a sua vida irá mudar. Lutando por sobreviver como músico de rua na cidade de Londres, a última coisa de que precisa é um animal de estimação. No entanto, incapaz de resistir ao animal doente, acolhe-o em sua casa. Quando Bob recupera a saúde, James deixa-o à porta do prédio, imaginando que nunca mais o voltará a ver. Todavia, Bob tinha outros planos. Dentro de pouco tempo, os dois tornam-se inseparáveis e as muitas aventuras que irão viver transformarão para sempre as suas vidas, curando lentamente as cicatrizes do passado atribulado de ambos.

Esta é a história de uma amizade improvável e de como um gato vadio irá ajudar um homem a recuperar a sua autoestima e dar-lhe uma nova esperança quando o resto do mundo lhe parecia ter fechado as portas.”

Opinião:

Admito que não sou uma grande apreciadora de livros baseados em histórias verídicas, mas decidi ler este livro por ser com animais, e fiz uma excelente escolha na minha opinião. Adorei esta obra, foi sem duvida uma história muito inspiradora e é um grande exemplo de como os animais nos ajudam e que merecem todo o nosso amor.

Este livro mostra como um animal pode mudar a nossa vida mas também a força de vontade que as pessoas precisam de ter para mudar, e que sem força de vontade não adianta quanta ajuda teremos que nunca iremos sair do mesmo sítio.

E foi isto que gostei tanto no livro a história foi sem dúvida uma história que me cativou bastante e foi o que me manteve agarrada ao livro, um aspeto muito bom desta obra é o facto de o gato não morrer, por vezes (ou sempre) não consigo superar muito bem a morte de um animal.

Até agora estive só a falar bem do livro mas a verdade é que o livro também teve os seus aspetos negativos. As razões de ter dado 4 estrelas a “A minha história com Bob” foram: a escrita, sei que não posso pedir muito em relação à escrita, porque se o livro foi realmente escrito por James Bowen é perfeitamente compreensível, como ele era um sem-abrigo obviamente que não tinha muito conhecimento na área da escrita, mas mesmo assim, a escrita é o que me cativa num livro. Outro tópico que não me fez dar a este livro 5 estrelas foi a sensação de alguns pequenos momentos serem inventados, coisas que não faziam sentido. Tive essa sensação algumas vezes durante o livro, posso estar enganada mas se não estiver, acho que o livro ficava igualmente maravilhoso sem aqueles pequenos exageros.

O Código Da Vinci – Opinião

O Código Da Vinci – Dan Brown

18139058Título original: The Da Vinci Code

Autor:  Dan Brown

Editora: Bertrand Editora

Publicação: 04-2013

Número de páginas: 568

A minha classificação: 15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n

Sinopse: “Robert Langdon, conceituado simbologista, está em Paris para fazer uma palestra quando recebe uma notícia inesperada: o velho curador do Louvre foi encontrado morto no museu, e um código indecifrável encontrado junto do cadáver. Na tentativa de decifrar o estranho código, Langdon e uma dotada criptologista francesa, Sophie Neveu, descobrem, estupefactos, uma série de pistas inscritas nas obras de Leonardo da Vinci, que o pintor engenhosamente disfarçou. Tudo se complica quando Langdon descobre uma surpreendente ligação: o falecido curador estava envolvido com o Priorado de Sião, uma sociedade secreta a que tinham pertencido Sir Isaac Newton, Botticelli, Victor Hugo e Da Vinci, entre outros.”

Opinião: 

Não compraria este livro se não tivesse em promoção, já me tinham falado e sugerido mas não achei a história nada de mais, mas ainda bem que estava em promoção porque caso contrário não o teria adquirido tão cedo.

Adorei tanto ler este livro! Além de ter bastante mistério também achei que foi uma obra bastante educativa, parava de ler para ir observar melhor os quadros, para pesquisar alguns tópicos que o livro mencionava, etc. Sei que a obra causou alguma polémica pela menção à Igreja Católica, mas eu vi este livro como se o autor quisesse abrir as nossas mentes.

Dan Brown pegou na pintura mais famosa de Leonardo Da Vinci para começar uma grande aventura. Não me deixou de surpreender como Dan Brown conseguiu criar todas as pistas e todo este mistério, como ele pegou em pequenas coisas e as ligou. A forma como ele falava das Historia, da arte, do próprio Da Vinci, tudo junto…Impressionante! Não imagino a enorme pesquisa que ele fez antes de fazer este livro.

Falando das personagens, achei as personagens tão impressionantes como a história Langdon passou a ser das minhas personagens favoritas e Sophie Neveau foi igualmente incrível.

[SPOILER ALERT]

Porém, não achei que o beijo do final fizesse muito sentido porque o escritor não evidencia muito a atração entre ambos, durante a história sempre os vi como amigos/companheiros, e acho que o escritor estragou ao querer colocar romance. Foi forçado e achei que o livro ficava melhor sem aquele beijo.

Outra coisa que adorei neste livro foi o plot twist, foi algo que eu, sem duvida, não adivinhava que iria acontecer. O que é fantástico porque para mim um bom livro, normalmente, é um livro com um bom plot twist.

Recomendo muito!! Mas claro está a quem aceita outras crenças e ideias, pois Dan Brown apresenta outro ponto de vista muito diferente do usual.

 

Let It Snow – Opinião

Let It Snow – John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle

18272314Título original: Let It Snow

Autor:  John Green, Maureen Johnson e Lauren Myracle

Editora: Penguin UK

Publicação: 05-2013

Número de páginas: 368

A minha classificação: 15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n15280906_1721920678136081_1385578121_n

Sinopse: “An ill-timed storm on Christmas Eve buries the residents of Gracetown under multiple feet of snow and causes quite a bit of chaos. One brave soul ventures out into the storm from her stranded train and sets off a chain of events that will change quite a few lives. Over the next three days one girl takes a risky shortcut with an adorable stranger, three friends set out to win a race to the Waffle House (and the hash brown spoils), and the fate of a teacup pig falls into the hands of a lovesick barista.

A trio of today’s bestselling authors – John Green, Maureen Johnson, and Lauren Myracle – bring all the magic of the holidays to life in three hilarious and charming interconnected tales of love, romance, and kisses that will steal your breath away.”

Opinião: 

Acabei por ler este livro também com a minha melhor amiga e comprar este livro em inglês porque precisava de ler mais em inglês e vamos ser sinceros esta capa é simplesmente maravilhosa!

Acho que o que me fez não gostar tanto deste livro foram as minhas altas expectativas. Porquê? Porque pensei que fosse gostar tanto dos outros escritores como gosto do John Green. A verdade é que não têm nada haver, na minha opinião.

Começando pelo primeiro conto, achei a personagem principal um pouco irritante em relação às cheerleaders, parecia que estavam dentro de um filme americano onde as cheerleaders todas são estúpidas. O romance foi muito forçado, achei que a escritora devia ter dado mais tempo às personagens para se conhecerem, Jubilee estava com o rapaz errado e de repente conhece Stuart um rapaz doce e querido. A história mais básica que nos podem dar.

O segundo conto foi o único que salvou o livro. Gostei das personagens, ainda que ache que o John Green não muda muito o estilo de personagens, pelo menos o Todin fez-me lembrar Quentin do livro Cidades de Papel, o JP fez-me lembrar o Ben e o espírito aventureiro da Duke fez-me lembrar um pouco da Margo. Porém, adorei o facto de o escritor ter feito os romances entre dois melhores amigos, porque, lá está, já se conheciam e achei muito mais realista do que o primeiro conto.

Depois, o terceiro conto, deu-nos novamente uma personagem principal que não gostei muito, mas o conto em si achei que estava bom independentemente do final estar muito previsível.

Achei bastante bom os contos estarem interligados, penso que me ajudou mais porque já conhecia as personagens dos outros contos então os escritores não precisavam de estar a apresentar muitas personagens no mesmo conto.

Basicamente, estava à espera de mais.